O Pentagrama

11 de dezembro de 2012 Comentários desativados

Também conhecido como Pentáculo, este símbolo é há muito tempo associado à Magia e ao Ocultismo, ocupando papel de destaque na Wicca, ou Bruxaria Moderna.

Suas origens se perdem na noite dos tempos, mas podemos encontrar Pentagramas (uma estrela de cinco pontas rodeada por um círculo) na decoração de objetos da Suméria e também na escrita hieroglífica do Antigo Egito.

O Pentagrama figura fortemente também nas tradições hebraicas.

A Wicca possui uma forte influência de elementos da Religião Celta, mas curiosamente o Pentagrama – praticamente o “Crachá” que identifica o Wiccano – não é originalmente um símbolo celta. Na verdade, o Pentagrama já vinha sendo utilizado como símbolo de poder mágico por muitas outras tradições anteriores à Wicca.

Encontramos o Pentagrama na Magia Cerimonial, em Thelema e muitas outras.

Ocultistas como Eliphas Lévi e Papus desenvolveram o tema do Pentagrama e seu uso mágico em suas obras. De modo bastante interessante, algumas igrejas Templárias em Portugal possuem vitrais na forma de Pentagramas. Essa ordem de monges guerreiros, tão importante na história do ocidente, ficou famosa por suas inúmeras associações com o ocultismo, a ponto de serem vitimados pela Inquisição. A presença do Pentagrama em suas construções parece confirmar seu aspecto herético e ocultista.

Alguns autores apresentam o Pentagrama como “Selo de Salomão,” o sábio Rei Hebreu responsável pela construção de um dos mais maravilhosos templos já criados pela Humanidade. Os Templários receberam seu nome justamente por se instalarem nas ruínas do templo de Salomão durante o período em que permaneceram em Jerusalém.

Os significados do Pentagrama são muitos, dependendo da tradição:

Ø Pode simbolizar a união dos Quatro Elementos (Terra, Água, Fogo e Ar) ao Quinto Elemento, a Quintessência, ou Princípio Vital;

Ø Simbolizaria também o ser humano, com os dois pés (as pontas inferiores) plantados no solo, os braços abertos em louvor (as pontas intermediárias) e a cabeça voltada ao céu (a ponta superior).

Ø É utilizado como símbolo iniciático em algumas tradições Wiccanas (como a Gardneriana, por exemplo).

Algumas tradições diferenciam o Pentagrama com a ponta solitária voltada para cima como sendo positivo, enquanto que a com a ponta para baixo é vista como negativa. Outras tradições não fazem essa diferenciação, aceitando o seu uso de qualquer dos modos.

No Tarot, o naipe Ouros é conhecido em inglês como “Pentacles” (“Pentáculos”) uma clara alusão a sua associação ao Elemento Terra. Neste caso, o Pentagrama simboliza todos os atributos do Elemento Terra, ou seja, a riqueza, o mundo material, o corpo físico. Como vimos acima, o Pentáculo pode ser facilmente identificado com o corpo humano.

Esta leitura simbólica torna fácil a associação do Pentagrama com Leonardo da Vinci que, ao propor seu estudo das proporções humanas, o faz inserindo um homem dentro de uma figura circular, criando assim um Pentagrama perfeito.

Também na Radiestesia vemos a utilização do Pentagrama. Entre os Radiestesistas, ele é utilizado como gráfico de proteção e limpeza.

Assim, podemos perceber que o Pentagrama é um poderoso símbolo, associado desde as mais remotas eras à Magia e ao Ocultismo. Apesar de não ser um símbolo Celta, foi amplamente adotado pela Wicca, desde o seu surgimento, na década de 1950, e hoje identifica muitos dos seguidores dessa corrente neo-pagã.

Claudio Crow Quintino